Como viajar sem um orçamento elevado

Não, não vos vou falar de campismo, nem de comer sandes a viagem inteira. Vou falar-vos de como aproveitar bem uma viagem, sem privações (bem, quase) e com pouco dinheiro.

Em primeiro lugar, definir um orçamento. Realista. De seguida, algo que algumas pessoas ainda não perceberam: viajar não significa necessariamente mudar de país! Quantos de nós pensam sempre em ir para o estrangeiro sem realmente ponderarem conhecer mais do próprio país? Atenção, adoro ir para o estrangeiro mas prefiro equilibrar os destinos. Por exemplo, se escolho um destino internacional num ano, tenho de escolher outro nacional. E este é o segundo passo para viajar de forma mais económica.

Em terceiro lugar, decidir o meio de transporte mais conveniente, de acordo com as vossas possibilidades e de acordo com o tempo que vão demorar até chegar ao destino (custo-benefício).

Chegamos ao que, normalmente, é a maior dor de cabeça para quem quer poupar: o sítio onde dormir. Se a ideia é realmente não gastar muito, nem vale a pena ver hotéis de 5 estrelas. Mas não vejam apenas hostels e alojamentos do género. Decidam quanto querem gastar e analisem todas as opções. Muitas vezes hotéis considerados mais caros têm promoções que ficam ao mesmo preço (ou quase) de outros mais baratos. E quem fala em hotéis e hostels fala também de quartos. E não, essa coisa de que alugar quarto é insegura e não se tem privacidade nem sempre é verdade. Se forem quatro ou mais pessoas, ponderem ainda arrendar uma casa, muitas vezes sai mais barato ou o mesmo preço do que pagar por dois quartos em hotéis e têm muito mais privacidade. Não se esqueçam, tenham em atenção também a localização e tudo o que isso implica: segurança, transportes, etc.

Por último, as refeições. Se ficarem em hotéis, aproveitem o pequeno-almoço incluído. Se ficarem noutro sítio em que tenham acesso a uma cozinha, façam-nos vocês próprios em casa. Podem ainda fazer o almoço para levar – mais económico e mais saudável. Se, pelo contrário, fizerem as refeições fora de casa, não vão aos restaurantes mais centrais e perto das atrações turísticas porque, na maioria das vezes, os preços estão inflacionados. Por vezes, basta afastarem-se duas ou três ruas para encontrarem melhores restaurantes e mais baratos.

Boas viagens!